.

 

SHEMA ISRAEL, ADONAI ELOHENU, ADONAI ECHAD! DEUT 6:4

 

A Luta Contra a Sensualidade

Introdução: Conta-se a história do Coelhinho Peter, no Jardim do Sr. Mc’Gregor.

Era uma vez quatro coelhinhos que moravam debaixo de uma grande árvore com sua mãe, Dª Coelha. Um dia, ela os enviou para brincar, advertindo-os para nunca, mas nunca, brincar no jardim do Sr. Mc’Gregor. Foi ali que seu pai havia sofrido um acidente horrível, e foi colocado numa torta da Dª Mc’Gregor. Três dos coelhinhos obedeceram a sua mãe, e foram para o quintal apanhar amoras. Mas Peter cavou um buraco debaixo da cerca do Sr. Mc’Gregor, e entrou no seu jardim. Peter comeu tanta verdura no jardim do Sr. Mc’Gregor, que ficou doente. Foi então que ele encontrou com - você já adivinhou - Sr. Mc’Gregor. O Sr. Mc’Gregor correu atrás do Peter, que fugiu tão rápido que perdeu seus sapatos novos. Mas escapou, somente para ficar preso numa rede que o jardineiro havia colocado perto da cerca. Na hora em que o Sr. Mc’Gregor aproximou-se dele, Peter conseguiu escapar outra vez, perdendo sua roupa na rede e se perdendo no jardim. Finalmente, com Sr. Mc’Gregor logo atrás, conseguiu sair pelo seu buraco debaixo da cerca e correu até a sua casa. Quando Peter chegou em casa, sua mãe queria saber o que havia acontecido com toda a sua roupa. Ela o mandou diretamente para cama, porque Peter estava se sentindo muito mal. Mas os outros coelhinhos comeram pão, leite, e amoras no seu jantar.

Por quê toda esta história? Creio que Peter Coelhinho nos fornece uma ótima alegoria daquilo que acontece com as pessoas que passam pelas cercas de proteção contra a imoralidade, e comem fruto no jardim dos outros. O risco é enorme, os benefícios transitórios, mas mesmo assim dentro de cada um de nós existe um pouco de Peter. É aquela parte de nós que luta com os desejos impuros, que nos atrai para outros jardins. Chamamos esta atração "tentação sexual."

Não tenho a menor dúvida de que a nossa sexualidade seja uma se não a principal frente de ataque usada por Satanás em nossos dias para derrubar a igreja de Jesus Cristo. A arma que ele mais usa nesta guerra é a bomba da nossa sexualidade. Viver no mundo hoje implica em correr o risco de cair em emboscadas preparadas diariamente pelo inimigo das nossas almas; implica em enfrentar diariamente um bombardeio sensual contra nossa pureza.

Confesso que me sinto às vezes como uma voz clamando no deserto. Já perdi 3 pastores para o adultério. Já vi os resultados de imoralidade nos jovens e adolescentes que pastoreei. Já encontrei com jovens seminaristas derrubados por seus pensamentos impuros. E já tive que consolar e aconselhar membros da minha própria família que caíram vítimas da sensualidade. Parece que advertimos, mostramos os perigos, mas muitas vezes entra por um ouvido e sai pelo outro.

Quando falo assim, não quero dar a impressão de que o crente deve cair numa sexofobia! Afirmamos o lugar legítimo, o privilégio, e o prazer de sexo dentro dos limites do casamento. Voltemos para o livro de sabedoria, Provérbios, para descobrirmos o equilíbrio sadio nesta área tão importante das nossas vidas.

Recentemente me chamou a atenção o número de vezes que Provérbios destaca sensualidade como o inimigo principal da alma do jovem! Não menos de 6 vezes, nos textos mais ostensivos do livro, o autor destaca o perigo de sensualidade e pecado sexual, nos sacudindo para acordar da nossa ingenuidade. Obviamente os problemas dos jovens, na era salomônica, não foi muito diferente da nossa luta hoje.

Os textos em que o pai exorta seu filho sobre sensualidade em Provérbios incluem 2:16-20; 6:23-35; 7:6-27 e 23:26-28. Mas é o capítulo 5 do livro que resume a mensagem bíblica sobre proteção contra sensualidade.

Se eu tivesse que resumir a idéia deste capítulo, o faria numa paráfrase das palavras de Jim Eliot da seguinte maneira: "É tolo aquele que dá o que deve guardar para ganhar o que certamente vai perder."

Encontramos no texto pelo menos quatro paredes de proteção contra a sensualidade que nós precisamos construir em nossas vidas se vamos evitar o laço da sensualidade.

I. Precisamos Ouvir A Instrução dos Pais sobre Sexualidade

Talvez você ache estranho enfatizar este aspecto da proteção, mas creio que esta é a primeira ênfase do livro de Provérbios, e que serve como uma medicina preventiva. Claro que alguns pais não vacinam seus filhos contra os perigos da imoralidade - de fato, os contagiam com a doença de impureza. Mas muitos pais cristãos hoje andam super-preocupados com a sobrevivência sexual dos seus filhos nestes dias tão difíceis; dias de se “ficar”!.

Foi interessante ver os resultados de uma pequena pesquisa que realizei entre 100 jovens seminaristas. Uma das perguntas foi se os pais haviam ensinado sobre sexualidade no lar. Infelizmente, 65% dos alunos responderam que nunca receberam uma orientação sexual dos pais. A maioria (50%+) indicou que seus colegas serviram como fonte (fidedignas?) principal do seu conhecimento, enquanto 30% afirmaram que sabem o que sabem por experiência pessoal.

Certamente os pais têm muita culpa nisso. Mas os jovens podem melhorar a situação abrindo o jogo com seus pais nesta área tão importante.

No meu estudo de Provérbios, uma das coisas que realmente me chamou atenção foi o número de vezes que o "pai" clama para seu filho dar-lhe ouvidos. Mais de 20 vezes no livro encontramos a pequena frase "Filho meu!" É o grito do mais velho, chamando para seu filho prestar atenção porque algo de extrema importância será transmitido. Decidi estudar o conteúdo da instrução do pai que segue este clamor por atenção. Foi muito interessante descobrir que não menos de seis destas vezes o pai dá uma educação sexual para seu filho! A implicação? Que pais têm a responsabilidade de advertir, informar, exortar e proteger seus filhos nesta área, e que filhos têm a responsabilidade de “dar ouvidos”.

Em capítulo 5 de Provérbios encontramos exatamente isso. O pai leva a sério sua responsabilidade de orientar seu filho sobre questões sexuais, e especialmente sobre o perigo da mulher sensual (hoje, a moda dos vestuários das jovens expõe, liberalmente o seu corpo, principalmente o colo). Nos versículos 1, 7, e 20 encontramos este clamor para seu filho. O jovem precisa respeitar a sabedoria do seu pai ao tratar de questões sexuais.

Você se lembra do Peter? Sua mãe o advertiu sobre o jardim do Sr. Mc’Gregor, mas ele escolheu ignorar aquele conselho. É interessante observar que ele seguiu nos passos do seu pai, que morreu naquele jardim.

O Peter ignorou o conselho da sua mãe, e seguiu o exemplo do seu pai. A primeira parede de proteção contra sensualidade e pecado sexual é seguir o ensino e o exemplo (positivo) dos pais. A segunda parede também se acha em Provérbios 5, vs. 8.

II. Precisamos Fugir da Tentação Sexual (5:8)

Sugerimos alguns sinônimos para "fugir": Escapar; correr; esconder-se; afastar-se; passar longe. Muitos já ouviram tudo isso. Mas parece que poucos realmente levam a sério.

Em nossos dias, e para muitos, o versículo 8 parece muito quadrado. O autor deve ser muito antiquado - não entende os tempos em que vivemos. Mas este é o problema. Nós nos enganamos quando imaginamos que podemos chegar tão perto quanto possível, sem ser afetado negativamente pela sensualidade da nossa cultura. Mas isto só mostra a profundidade da nossa ingenuidade quanto à tentação sexual! Seu propósito é justamente atrair pouco a pouco, até captar numa rede quase que impossível de escapar! Satanás aproveita de não sei quantos jovens justamente por esta sua necessidade!

No mesmo contexto, cp. 6:27,28 pergunta

"Tomará alguém fogo no seio, sem que as suas vestes se incendeiem?

"Ou andará alguém sobre brasas, sem que se queimem os seus pés?"

O texto de 5:8 usa paralelismo para enfatizar fortemente a necessidade de manter sua distância -de fugir, como José. "Afasta teu caminho" e "nem te aproximes da porta" mostram a urgência de construirmos paredes de proteção ao redor da nossa vida sexual. Cp. 7:25 acrescenta

"não se desvie o teu coração para os caminhos dela; e não andes perdido nas suas veredas."

Talvez seja quadrado, mas prefiro ser quadrado a imoral. Não podemos brincar com o poder dos nossos impulsos sexuais!

Um tempo atrás um pastor amigo contou que ele está no processo de aconselhamento do oitavo caso de adultério na sua igreja de 50 membros! Recentemente descobriu que dois homens da sua igreja quase bateram seus carros, um entrando e outro saindo do estacionamento de um motel de São Paulo.

Quando reflito no caso dos meus amigos pastores que já caíram, percebo uma tendência comum em todos. Nenhum deles caiu de uma hora para outra. Em todos, foi um processo de tomar um pouco mais de fogo no seio, até ser queimado; um pouco mais de liberdade, um olhar um pouco mais prolongado, um programa assistido aqui, uma revista ali. E de repente, ficaram exatamente onde satanás os queria.

Como nós somos bobos! Nós humanos somos os únicos seres viventes que brincam com perigo (fogo) só para ver até que ponto podemos chegar sem sermos queimados! O animal foge assim que sente o cheiro do caçador. Mas não o homem. Assim que ele sente o perfume da caçadora, ele sai a